Page 2 of 6

5 dicas para aumentar a sensibilidade à insulina naturalmente

Comida fornece informações para o corpo. As calorias afetam os níveis de energia e a gordura corporal.

A proteína afeta tudo, desde o crescimento muscular, controle do apetite até a produção de hormônios.

Fibra nutre as bactérias em nossas entranhas que desempenham um papel na saúde do nosso sistema imunológico.

Os carboidratos afetam o açúcar no sangue e o desempenho no exercício.

A vitamina C protege contra os efeitos nocivos do açúcar elevado no sangue e do dano oxidativo.

O sal afeta a retenção de água.

Nós poderíamos viver para sempre. Os componentes nutricionais dos alimentos desempenham muitas funções diferentes no corpo humano.

DIABETES E ALIMENTAÇÃO

Este artigo tem como objetivo destacar cinco aspectos nutricionais importantes dos alimentos que demonstraram melhorar o efeito (ou a sensibilidade) da insulina, levando a um melhor controle do nível de açúcar no sangue em pessoas com diabetes.

Antes de entrar em detalhes – é importante entender alguns conceitos chave relacionados à insulina e diabetes.

Insulina

A insulina é um hormônio chave envolvido no uso e armazenamento de combustível no corpo é.

Sensibilidade à Insulina refere-se à eficácia do hormônio insulina em realizar seu trabalho no corpo. Isso varia entre os indivíduos e é reduzido em pessoas com diabetes.

A resistência à insulina é quando as células musculares, hepáticas e gordurosas não estão usando adequadamente a insulina. Como resultado, a glicose se acumula no sangue, passa para a urina e é excretada do corpo, nunca cumprindo seu papel como principal fonte de combustível do corpo.

Diabetes é um grupo de doenças metabólicas que não é efetivamente produzido por vários graus de resistência à insulina, quando insulina insuficiente é produzida ou insulina produzida atualmente.

Os distúrbios da produção e sinalização de insulina, quando não controlados, podem ter efeitos profundos e devastadores nos órgãos e tecidos do corpo. Portanto, é importante que as pessoas com diabetes tipo 1 (que quase não produzem insulina) tenham um suprimento ininterrupto de medicamentos insulínicos de alta qualidade para reproduzir sua própria produção natural de insulina.

Mesmo as pessoas com diabetes tipo 2 precisam escolher medicamentos para melhorar a eficácia de sua produção natural de insulina.

Em ambos os casos de diabetes, certos fatores de estilo de vida são recomendados para apoiar a terapia medicamentosa. A dieta é uma delas.

5 Dicas que aumentam naturalmente a sensibilidade à insulina

1. Consumir alimentos que demonstraram aumentar a sensibilidade à insulina.

Pesquisa científica mostrou que alimentos como vinagre, limão, limão, nozes, amêndoas, chá verde, canela e cúrcuma possuem propriedades de sensibilização à insulina. Incluindo alimentos ricos em nutrientes como estes em sua dieta pode ajudar a melhorar a sensibilidade à insulina do corpo e armazenar os carboidratos ingeridos em lojas de glicogênio muscular em vez de gordura.

2. Considere a suplementação com magnésio e vitamina D.

O magnésio e a vitamina D demonstraram melhorar a sensibilidade à insulina do organismo. Baixos níveis de magnésio são comuns em pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2.

O magnésio é um mineral essencial e próximo ao sódio o segundo eletrólito mais comum no corpo. O magnésio tem uma forte relação com a insulina e, portanto, desempenha um papel importante no metabolismo de carboidratos. 1,2

Pesquisa mostrou que voluntários que suplementaram com magnésio oral aumentaram os níveis de açúcar no sangue em jejum e aumentaram sua sensibilidade à insulina 3

A dose padrão para suplementação de magnésio é 200 -400 mg. 4

A vitamina D é um nutriente solúvel em gordura que é essencial para a sobrevivência humana.

Sabe-se que a vitamina D melhora a função do receptor de insulina, previne a morte das células dos ilhéus e melhora a função das células beta.

A pesquisa em diabetes tipo 1 e tipo 2 mostrou resultados positivos na suplementação de vitamina D com hemoglobina A1c baixa em comparação com a linha de base. 5.6 Muito disto pode ser devido, em parte, a uma melhora na resistência à insulina.

Os diabéticos devem fazer um exame de sangue com 25 (OH) D para determinar sua dosagem atual de vitamina D. O Conselho de Vitamina D recomenda um nível de sangue entre 50-80 ng / ml ao longo do ano.

Se necessário, 1.000 a 2.000 UI (25-50 μg) de vitamina D por dia é mais que suficiente. 7

Tanto o magnésio como a vitamina D podem ser tomados com suplementos alimentares. Mas eles também podem ser obtidos da comida.

Alimentos ricos em magnésio incluem vegetais de folhas verdes, sementes de abóbora, castanhas de caju e brócolis.

A vitamina D é facilmente absorvida quando exposta diariamente ao sol; As pessoas que vivem mais longe do equador ou expostas a invernos rigorosos e frios estão em desvantagem e podem necessitar de suplementos adicionais de vitamina D. Além disso, alimentos como peixes gordurosos como salmão, laticínios, ovos e óleo de fígado de bacalhau podem ser consumidos para atingir níveis adequados de vitamina D.

3. Priorize os ácidos graxos essenciais, especialmente o ômega-3.

O corpo humano pode sintetizar a maior parte de sua necessidade de gordura dos alimentos. No entanto, existem dois ácidos graxos essenciais, os ácidos graxos ômega-6 (ácido linoleico) e ômega-3 (ácido alfa-linolênico), que não podem ser produzidos no corpo e devem ser ingeridos a partir da dieta. Ambas estas gorduras podem ser encontradas em alimentos vegetais e animais.

Consumir um equilíbrio saudável de ômega-6 e ômega-3 é muito importante para a saúde humana.

Na sociedade moderna de hoje, no entanto, muitas populações estão em risco de obesidade e diabetes tem um desequilíbrio no consumo de ômega 3 e 6, consumindo muito ômega 6 em detrimento do ômega 3.

Embora esses dois ácidos graxos sejam essenciais para uma boa saúde, o forte desequilíbrio é pró-inflamatório e prejudicial à sensibilidade à insulina. O desequilíbrio é uma conseqüência da crescente ingestão de alimentos no mundo, em particular o aumento do consumo de alimentos processados ​​cozidos em gorduras poli-insaturadas processadas, como o óleo de girassol.

A primeira linha de defesa para eliminar esse desequilíbrio é ingerir menos calorias e melhorar o equilíbrio energético com a atividade física. O próximo passo é aumentar o consumo de ômega-3 de peixes gordurosos de água fria ou o uso de suplementos dietéticos de ômega-3 de alta qualidade.

Idealmente 340-453 g (12-16 oz.) Água fria, peixe gordo, como salmão, sardinha e cavala a cada semana, se o gosto pessoal permitir, caso contrário, óleo de peixe de boa qualidade.

4. Evite gordura trans.

Não há nada de positivo ou saudável sobre a gordura trans produzida pelo homem. Eles estão bem estabelecidos para causar resistência à insulina, levando a uma diminuição da sensibilidade à insulina. Além disso, a gordura trans pode aumentar o armazenamento de gordura no abdômen. Os produtos alimentares contendo gordura trans incluem bolos, óleos vegetais e margarina. Substitua estes produtos de cozinha comuns por óleos mais saudáveis, como azeite de oliva, óleo de abacate, óleo de coco ou manteiga de verdade.

As gorduras trans são mencionadas nos rótulos nutricionais.

Tente comprar e consumir alimentos que contenham 0g de gordura trans. Fonte: Body now online.

5. Nutrição sobre macronutrientes.

Os carboidratos têm o maior efeito nos níveis de açúcar no sangue, a proteína tem um efeito moderado e a gordura tem um efeito relativamente baixo.

No entanto, quando se trata de refeições, consumimos principalmente macronutrientes misturados de diferentes fontes alimentares.

Pense nisso. Eles raramente comem uma batata sozinha. Em vez disso, uma combinação de batata (carboidratos), carne ou peixe (proteína) e um bom pedaço de manteiga (como gordura).

Se você ficar consistente com os níveis de carboidratos, gorduras e proteínas às refeições, terá uma chance muito maior de desenvolver uma relação confiável entre insulina e carboidrato.

Isso é ótimo, mas o que acontece se você fizer uma mudança radical e decidir consumir um alimento básico em um macronutriente? Ou, você varia a composição da sua refeição para um macronutriente em particular como uma pizza de calabresa que é super gordo?

Quando chegar a hora, você deve estar preparado para aumentar ou diminuir sua insulina de acordo. Isso requer um entendimento completo de como você pode dosar e distribuir sua insulina para refeições mistas e / ou individuais com base em macronutrientes.

A dosagem precisa da insulina é extremamente importante para evitar a hiperglicemia e a resistência à insulina.

7 Pensamentos Para Reduzir O Stress e melhorar a saúde

Você anda ultimamente muito estressado com tudo ao seu redor? Talvez esteja na hora de parar um pouco a rotina e refletir sobre algumas coisas…

Confira essas dicas para se manter saudável com sua rotina e pensamentos que o site Saúde coletiva indica para saúde:

1. Nada é tão importante como o seu bem-estar

Quantas vezes não se ouve os sinais de cansaço físico e mental por continuar a cumprir certos objetivos que o levam ao limite de suas forças?
Não há nada tão importante como a saúde. Por esta razão, é determinante que a partir de agora, começar a respeitar o seu próprio ritmo.

2. Amanhã é outro dia

Quando você sentir que tudo se coloca contra e observar a realidade a partir de um filtro de negatividade, tenta lembrar-te de que a sabedoria vital começa com os detalhes mais simples.
Mesmo que hoje você vê tudo desta forma, lembre-se que amanhã será outro dia. O descanso é terapêutico, portanto, após o descanso do sono, você vai se sentir melhor.

3. Ninguém é indispensável

A sensação de estresse também pode ser acompanhada por esse excesso de responsabilidade que coloca sobre si quem tem dificuldades para delegar. Na realidade, felizmente, ninguém é indispensável. Liberte-se do peso de acreditar que sim o que você é, porque dessa forma, você ganha a liberdade emocional.

4. O tempo mais importante é aquele que marca o teu coração

A gestão do tempo é um conceito recorrente no âmbito profissional. Talvez, em muitos momentos, sentir o stress que marca um contexto definido pela produtividade e o desempenho. Na verdade, lembre-se que seu centro vital está em ti.
O tempo mais significativo é aquele que marca o compasso do seu coração. Tenta ouvir com mais freqüência desse som interior de vida.

5. O processo é tão significativo como o objetivo

O estresse nasce com muita frequência, diante da urgência da pressa de chegar antes a um determinado destino. A partir de agora, não esqueça que além do objetivo específico, a própria evolução do caminho nessa direção, existe um valioso aprendizado. O perfeccionismo não reside em chegar antes a um objetivo. O importante é que você coloque o coração e a mente em suas ações.
Por isso, tenta colocar sua atenção em o poder do agora, porque esse instante é o tempo que realmente te pertence.

6. O estresse se tira mais do que dá-te

É verdade que o stress tem seu lado positivo quando nasce como uma resposta adaptativa e deseja alcançar um objetivo importante. No entanto, quando o estresse se torna crônico, torna-se um peso cansativo para você.

7. A vida é bela

O estresse intenso e habitual, há que observar a realidade a partir de uma perspectiva que não se permite apreciar de verdade, com intensidade a beleza dos pequenos detalhes. Por esta razão, tenta romper com essa dinâmica de negatividade do stress, com este mantra de superação vital através desta mensagem simples e tão cinematográfico: A vida é bela”.
Anote por escrito seus próprios pensamentos positivos para reduzir o stress.

10 dicas para levar uma vida mais saudável

Como você pode levar uma vida mais saudável? Aqui estão 10 dicas de saúde!

Vamos começar nossas 10 dicas para ter uma saúde muito mais saudável e consequentemente viver melhor.

10 dicas de saúde de como ter uma vida saudável

1. Coma devagar
Você sabia que comer muito rápido pode causar ganho de peso?

Segundo a pesquisa, os comedores mais rápidos têm maior probabilidade de estar acima do peso, em comparação com as pessoas que comem mais devagar.

Em um estudo, também foi sugerido que isso é 115% mais provável de ocorrer em mulheres de meia idade.

Enquanto você come, seu corpo libera ‘hormônios da plenitude’ que informam ao cérebro que você comeu e deve parar.

No entanto, como esse processo leva cerca de 20 minutos, os comedores velozes podem consumir muita comida e receber esse sinal apenas mais tarde – o que explica o ‘inchaço pós-bufê’ que você pode sentir após uma refeição satisfatória.

Na próxima vez que estiver fazendo uma refeição, faça um esforço consciente para comer mais devagar e observe o efeito no apetite. Verás que com o tempo, terás uma vida mais saudável.

 

2. Beba mais água

Você pode ter ouvido falar do ditado “beber 8 copos de água por dia”, mas muitos não podem realmente seguir isso, muitas vezes optando por contar sua ingestão total de líquidos – o que geralmente inclui refrigerantes, café e outras bebidas.

Seu corpo não é composto de refrigerantes e cervejas, no entanto. Dependendo da idade, cerca de 60% do corpo humano é composto de água.

Existem inúmeros benefícios em beber mais água – isso nos ajuda a controlar nossa ingestão de calorias, energiza nossos músculos, mantém nossos rins saudáveis ​​e hidrata a pele.

Ao ficar hidratado com água, você também sentirá menos desejos por bebidas açucaradas ou menos saudáveis.

3. Leia os rótulos nutricionais

Se a perda de peso é um dos seus objetivos de saúde, crie o hábito de ler os rótulos nutricionais de seus alimentos durante suas compras.

Observe a quantidade total de calorias que um produto contém, e não apenas uma porção (normalmente o que está indicado no rótulo).

A leitura de rótulos nutricionais também ajudará você a evitar apenas a leitura de rótulos de marketing como “alto teor de fibras”, “baixo teor de gordura” ou “zero açúcar”, pois esses rótulos podem ser enganosos.

Embora um produto tenha “alto teor de cálcio”, ele também pode ter alto teor de açúcar – um detalhe que você pode ter perdido se não tivesse lido o rótulo nutricional.

4. Pare ou reduza a utilização de molhos prontos

Como asiáticos, amamos nossos molhos. Afinal, o que é arroz de frango sem uma dose generosa de molho de pimenta com alho?

Ou char kuey teow sem seu molho preto aromático? Alguns também podem argumentar que mergulhar batatas fritas em queijo faz com que tenham um sabor melhor.

Mas quantas calorias os seus molhos favoritos contêm? Aqui está uma rápida olhada:

  • Molho para mil ilhas: 56 calorias (por colher de sopa / colher de sopa ou 15 ml)
  • Molho de pimenta: 20 calorias (por colher de sopa / 18g)
  • Molho de soja: 10 calorias (por colher de sopa / 15 ml)
  • Maionese: 90 calorias (por colher de sopa / 13g)
  • Molho de creme: 439 calorias (por xícara / 244g)
  • Molho: 123 calorias (por xícara / 233g)

Da próxima vez que comer fora, peça menos molho para reduzir a quantidade de calorias que consome. Isso também pode ajudá-lo a apreciar melhor sua comida – você pode se surpreender com os sabores sutis escondidos por trás dessa colher extra de molho.

5. Obtenha uma escala de composição corporal

Isso pode ser uma adição útil à sua casa (e à saúde). Dependendo da complexidade do dispositivo escolhido, essas escalas geralmente medem o peso, o músculo, a água, a gordura e a densidade óssea do seu corpo.

Se seu objetivo é perder peso ou ganhar massa muscular, as medidas que você pode obter de uma escala de composição corporal podem ajudá-lo a acompanhar seu progresso mais claramente do que uma simples escala de peso corporal.

Certifique-se de subir na balança uma vez por dia e no mesmo horário todos os dias, para que você possa acompanhar seu progresso.

Lembre-se de que você não está procurando flutuações do dia-a-dia, mas tendências de longo prazo na massa gorda e muscular.

6. Pesquise uma dieta antes de pular nela

Do ceto ao paleo, do vegano ao mediterrâneo, não faltam opções para quem procura uma nova dieta para ser mais saudável e até perder peso. A única questão é: qual dieta você deve escolher e isso é adequado para você?

A melhor dieta deve ser aquela que complementa seus objetivos de saúde e estilo de vida. Se você pretende iniciar uma dieta, pesquise seus prós e contras e aprenda como embarcar nela com segurança.

Lembre-se de que, embora seu objetivo imediato possa ser a perda de peso, sua saúde a longo prazo deve ser colocada acima de qualquer ganho a curto prazo.

Para saber a melhor dieta para você clique aqui.

7. Coma mais frutas e legumes

Uma pesquisa de saúde com mais de 65.000 participantes constatou que as pessoas que ingeriam mais porções de frutas ou vegetais (7 ou mais) todos os dias tinham um risco reduzido de 42% de morrer (por qualquer causa), em comparação com indivíduos que ingeriam menos de uma porção um dia.

No entanto, convém escolher mais produtos frescos, pois foi constatado que frutas congeladas e enlatadas também podem aumentar o risco de morte em 17%.

Precisa de uma dica de como você pode adicionar mais frutas e vegetais à sua dieta?

Compre algumas frutas cortadas após o almoço e leve-as ao seu local de trabalho. Na próxima vez que estiver com fome, essa fruta será o lanche mais próximo e mais conveniente que você encontrará.

8. Exercite-se (pelo menos) 3 vezes por semana

De acordo com o Active Health (uma iniciativa do Conselho de Esportes de Cingapura), os adultos devem praticar pelo menos 150 minutos de atividade física moderada a vigorosa a cada semana. A realidade, porém, é que apenas 26% dos cingapurianos o fazem.

Atingir esse objetivo não precisa ser difícil. Podes tentar:

  • Faça mais uma atividade que você já está fazendo
  • Escolha uma atividade que você goste de fazer e comece a fazê-la

Essas podem ser pequenas mudanças. Por exemplo, em vez de passear com seu cachorro, vista seu tênis de corrida e corra com ele.

E se você já estiver correndo duas vezes por semana, adicione um terceiro dia para explorar diferentes rotas em um ritmo agradável e relaxante.

9. Comece o seu dia com um alongamento

Alongamento não é apenas para iogues ou ginastas – todos devem se alongar. Se você é dono de um animal de estimação, pode ter observado que seu cão ou gato o faz

naturalmente todas as manhãs – um sinal de que o alongamento é uma atividade natural que deveríamos fazer mais, especialmente se você levar um estilo de vida bastante sedentário.

Uma carta publicada pela Harvard Health diz que o alongamento mantém nossos músculos flexíveis e saudáveis, mantendo nossa amplitude de movimento.

Músculos rígidos e inflexíveis podem encurtar e ficar tensos, aumentando o risco de tensões, dores nas articulações e danos nos músculos.

10. Pare de fumar

Embora a legislação tenha colocado imagens repletas de doenças em caixas de cigarros e eliminado a publicidade de tabaco por décadas, o tabagismo ainda é um hábito bastante comum em Cingapura.

Segundo o HealthHub, 6 os cingapurianos morrem prematuramente de doenças relacionadas ao fumo todos os dias.

Parar de fumar pode ser um desafio, mas também uma das decisões que mais mudam a sua vida.

Algumas estratégias para superar o vício incluem exercícios, grupos de apoio, técnicas de relaxamento como respiração ou mesmo terapia de reposição de nicotina.

 

Por que a saúde mental é uma questão feminista

A saúde mental das mulheres não é levada a sério

“A saúde mental é uma questão feminista porque as experiências das mulheres têm sido e continuam sendo patologizadas”, diz Mindy J. Erchull, professora de ciências psicológicas da Universidade de Mary Washington, na Virgínia. “É mais provável que as mulheres sejam referidas como ‘loucas’, por exemplo – tanto nas conversas diárias quanto na mídia. As mulheres também tiveram experiências de vida típicas caracterizadas como ‘desordenadas’ ”.

Este problema não é novo. Ela pode ser rastreada até 1900 aC no Egito , e o uso da “histeria” para resumir o problema de saúde de qualquer mulher que se desvia do esperado papel de gênero continuou até os anos 50. O termo pejorativo geralmente era atribuído por médicos que não levavam as mulheres a sério.

“Embora a medicina e a saúde mental tenham mudado bastante ao longo dos séculos, a histeria é um diagnóstico de gênero historicamente que muitas vezes serviu de ponto de partida quando os médicos não conseguiram identificar outra doença”, escreve Christina Vanvuren. “Era extremamente comum encontrar mulheres rotuladas como ‘histéricas’ definidas mais por sua estatura como mulheres do que por seus sintomas.”

Mas aqui está a dura verdade sobre as mulheres, doenças mentais e seus sintomas:

As mulheres têm altas taxas de diagnóstico de saúde mental

A doença mental mais comum, a ansiedade, afeta mais de 40 milhões de adultos todos os anos nos Estados Unidos. Transtornos de ansiedade , como transtorno de ansiedade generalizada e transtorno do pânico, têm duas vezes mais chances de afetar mulheres do que homens. Dos 300 milhões de pessoas que vivem com depressão em todo o mundo, as mulheres experimentam depressão duas vezes mais que os homens.

O transtorno de estresse pós-traumático afeta aproximadamente 7,7 milhões de adultos nos EUA, e as mulheres são mais propensas a ter TEPT do que os homens. Por quê? O estupro é a principal causa de TEPT e 90% das vítimas adultas e 82% das vítimas juvenis são mulheres. Dos 1,6 a 5,9% estimados da população adulta dos EUA diagnosticada com transtorno de personalidade, 75% são mulheres.

Embora o transtorno bipolar seja igualmente comum em mulheres e homens, pesquisas sugerem que as mulheres experimentam transtorno bipolar de ciclo rápido três vezes a taxa dos homens. As mulheres têm mais episódios deprimidos e mistos do que os homens.

Estima-se que 30 milhões de pessoas sofrem de um distúrbio alimentar nos EUA. Destas, 20 milhões são mulheres. Desde 1930, tem havido um aumento na anorexia em mulheres jovens entre 15 e 19 anos a cada década. A bulimia entre as mulheres de 10 a 39 anos triplicou entre 1988 e 1993 sozinha.

Finalmente, as mulheres têm três vezes mais chances de tentar suicídio do que os homens (mais sobre isso mais tarde).

Mulheres e opressão

Pelo menos parte da razão pela qual as mulheres experimentam taxas mais altas de doença mental, particularmente ansiedade e depressão, pode estar ligada à opressão que enfrentam regularmente, algo contra o qual o movimento feminista luta estimulando o coaching de empoderamento feminino.

“À medida que mais pesquisas foram feitas, também acumulamos evidências científicas que apontam para as consequências negativas da opressão para a saúde física e mental”, diz Erchull. “Isso tornou mais fácil para as feministas argumentarem para um público mais amplo que a saúde mental é uma questão feminista”.

Em um estudo publicado na revista Sex Roles , por exemplo, pesquisadores da Universidade do Missouri-Kansas e da Universidade Estadual da Geórgia encontraram um “elo entre preocupações de segurança física e sofrimento psicológico” quando as mulheres sofrem assédio sexual, objetivação e violência.

O sexismo generalizado que as mulheres encontram pode levar diretamente a sintomas de doença mental.

“Muitas vezes, as pessoas experimentaram violações extremas do corpo, mente, pensamento, sentimento, espírito, cultura ou alguma combinação de todas essas”, escreve Laura Brown na terapia feminista . “[Eles] se protegeram desenvolvendo estratégias de passividade; dissociação do corpo, afeto ou memória; ou violência autoinfligida “.

Além disso, o papel das mulheres de ginástica de gênero ainda deve ter um impacto sobre a saúde mental.

“Cada vez mais, espera-se que as mulheres funcionem como cuidadora, dona de casa e ganha-pão – enquanto estão perfeitamente modeladas e impecavelmente vestidas – e têm menos recompensa e controle”, disse o professor da Universidade de Oxford Daniel Freeman à Bustle . “Dado que o trabalho doméstico é subvalorizado, e considerando que as mulheres tendem a receber menos, acham mais difícil avançar na carreira, têm que conciliar vários papéis e são bombardeadas com imagens de aparente ‘perfeição’ feminina, seria surpreendente se não havia nenhum custo emocional. ”

Por que isso também é importante para os homens

A questão da saúde mental e do feminismo também pertence aos homens. Eles não estão imunes a doenças mentais.

Homens que são estuprados têm 65% de chance de desenvolver TEPT. Homens são mais propensos que mulheres a desenvolver esquizofrenia. E sim, os homens recebem diagnósticos de depressão, ansiedade, transtorno bipolar, TEPT, DBP, problemas de abuso de substâncias e distúrbios alimentares também.

Para os homens, muitos desses diagnósticos colidem com a ideia de masculinidade – não pode haver sinais de fraqueza. Portanto, quando os homens devem ter o poder de procurar ajuda, podem ser chamados de “bichanos” ou instruídos a “endurecer”. As mulheres tentam o suicídio com mais frequência, mas os homens têm quatro vezes mais chances do que as mulheres de morrerem por suicídio.

“Os meninos precisam de uma auto-estima saudável”, escreve ganchos em Feminismo é para todos . Eles precisam de amor. E uma política feminista sábia e amorosa pode fornecer o único fundamento para salvar a vida de crianças do sexo masculino. … O que é necessário é uma visão da masculinidade, onde a auto-estima e o amor próprio do ser único formam a base da identidade. ”

Complicando a conversa

Talvez o mais importante, como no movimento feminista mais amplo, as conversas sobre saúde mental precisem ser ampliadas para incluir uma gama mais ampla de identidades e experiências intersetoriais.

“Os desafios de saúde mental para uma mulher branca, cisgênero, heterossexual, com boa educação e classe média alta que trabalha na administração de uma empresa da Fortune 500 provavelmente serão diferentes dos de uma mulher latina e transgênero que não tem acesso a moradias seguras, são inseguras alimentares e não conseguem encontrar emprego estável fora do trabalho sexual ”, diz Erchull. “Precisamos complicar ao invés de simplificar essas discussões.”

Isso é especialmente verdadeiro no campo da saúde mental, onde qualquer número de marcadores de identidade e a resposta cultural a eles têm um enorme impacto no nosso bem-estar.

“A limitação atribuída às pessoas por causa de sexo, fenótipo, idade, orientação sexual, deficiência, classe social ou outras características da cultura patriarcal torna-se firmemente tecida em seu sentido de quem são”, escreve Brown.

Feminismo e saúde mental agora

O feminismo já tomou medidas para incorporar as necessidades de saúde mental de uma população diversificada.

“As feministas pesquisam sobre saúde mental, advogam a inclusão e exclusão de certas categorias de diagnóstico, treinam terapeutas em terapia feminista e multicultural, advogam e fazem lobby por financiamento do governo nos níveis local, estadual e nacional, etc.”, diz Erchull. “As feministas também estão trabalhando para desmantelar sistemas sociais opressivos e instituições que podem, a longo prazo, melhorar suas vidas e saúde mental como parte disso”.

Há mais trabalho a ser feito.

O acesso a cuidados de saúde mental de alta qualidade que é possível, não apenas financeiramente, mas logisticamente, como médicos a uma curta distância ou em rotas de transporte público, permanece fora do alcance de uma grande porcentagem daqueles que precisam de cuidados de saúde mental. Apesar de um em cada cinco americanos que vivem com doença mental em um determinado ano, 60% não recebem tratamento e 26% dos adultos que vivem em abrigos para sem-teto estão doentes mentais.

O diagnóstico de saúde mental de gênero, como a DBP, também precisa continuar sendo desafiado, principalmente porque trabalhamos para desmantelar a noção de gênero de ter um distúrbio emocional em primeiro lugar.

“Nós, como cultura, devemos parar de usar a linguagem e os estereótipos que apresentam as mulheres como seres histéricos e emocionais, socializados em relação à co-dependência”, escreve Vanvuren. “Precisamos desmantelar o estereótipo de que os homens devem ser fortes e não precisam pedir ajuda, bem como a noção de que eles não mostram suas emoções”.

Isso começa examinando a saúde mental através de uma lente feminista e desafiando todos nós a fazer melhor.

“Trazer toda mulher com uma doença mental com o pincel maluco, ou simplesmente nos envolver com qualquer pessoa da persuasão feminina que pareça agir irracionalmente ou de uma maneira que você não gosta é arcaica e boba”, escreve JR Thrope para agitação. “Merecemos respostas diferenciadas e informadas à nossa doença, não rótulos que visem algum aspecto ‘irracional’ imaginado do nosso gênero.”

Por que temos vícios em açúcar e gorduras?

Os açúcares e as gorduras que merecem uma menção especial, pois devido a sua grande popularidade permanecem o centro de toda a atividade de comer por prazer e porque ambas são viciantes por sua atividade biológica.

Hoje em dia está mais fácil ter uma alimentação saudável, pois há cardápio marmita fitness para vender em qualquer cidade, apesar das gostosuras que lançam todos os dias.

Os alimentos que contêm açúcar e gorduras em grandes proporções são as mais propensas a desencadear o comer compulsivo. O que faz sentido, do ponto de vista da Natureza.

Como caçadores-colectores que fôssemos, quase nunca teríamos sucesso na obtenção de comida altas calorias, pois elas eram muito escassas; o que significava que tínhamos que contentarmos com alimentos relativamente baixos no teor nutritivo, comparado a o que hoje costumamos.

Assim, quando estávamos alimentos nutritivos, como são os que hoje consumimos era o nosso maior benefício, comer em excesso e, por prazer, para acumular em forma de gordura em nosso corpo o excesso de calorias disponíveis. Por isso, as gorduras, os açúcares e as comidas temperadas nos condicionados a os desejar. Assim como este tipo de alimento, tudo o mais que pudéssemos, como ainda fazemos.

O chocolate contém em sua composição uma molécula chamada anandamida, relacionada à maconha, e que age no cérebro, como o faz esta mesma droga O açúcar, por sua vez, se demonstrou, que segue um processo de metabolismo idêntico ao da cocaína, o que resulta em que estes dois ingredientes, presentes em nossas mesas, conseguem ser classificados como viciantes.

O que as evidencias mostram

A evidência demonstra que o comer em excesso e por prazer, e o consumo de certas substâncias controladas envolvem os mesmos circuitos cerebrais agindo de forma idêntica.

Como ocorre essa vício da comida? Quando se registra o prazer, nossos cérebros, por meio de reações químicas, aprendem” a associar a experiência palatável com os sinais e condições que a antecipar e a produzem. Em outras palavras, que o cérebro lembre-se” não só o gostinho do que o estimulasse, mas que também retém esquemas de ações e os comportamentos que se associa a experiência palatável. Essas mesmas redes se tornam mais e mais profundas à medida que o ciclo que as desperta, os incita e as sacia, se repete ao final, tornando-se algo permanente e estabelecendo a presença de um padrão reflexo de conduta círculo vicioso.

Quando se pensa em que a comida, automaticamente, antecipa o gozo que dela deriva. Resultando no que se alguém gosta de algo de forma acentuada, o ato mesmo de ser re-exposto ao que agrada, embora estivesse fora do alcance, como ver um anúncio na TV acarretará o desejo de consumir.

Drogas, como o tabaco, o álcool e o açúcar são especialmente eficientes na sua função de estímulos condicionantes, essencialmente em virtude de suas propriedades químicas.

Todas podem incentivar de modo direto as áreas do cérebro envolvidas com o prazer de maneira mais eficiente que o naturais, como são o alimento comum, a atividade sexual. Sendo assim, porque com as drogas se pode conseguir uma resposta exagerada (supra-fisiológica) de prazer devida, em parte, para que a droga geralmente chega ao cérebro muito rapidamente, alcançando a recompensa procurada de forma imediata.

Cirurgia para pênis é o melhor caminho?

Hoje em dia com tanta informação ao alcance dos dedos fica muito mais fácil ter acesso a qualquer tipo de informação, assuntos sobre: como segurar a ejaculação, técnica para aumentar o pênis, conquistar as mulheres e etc. Você encontra aos montes por toda a Internet, no entanto você pode conseguir essas informações de fontes não muito boas ou seguras e tomar uma decisão ou caminhos que depois você pode se arrepender como por exemplo quando o assunto se trata do seu corpo.

Primeiramente, se você quer apenas engrossar o pênis sem cirurgia, recomendamos a leitura neste link: https://tratandoimpotencia.pro/como-engrossar-o-penis/

Já pensou se você faz uma cirurgia dessas e depois descobre que centenas de pessoas, dentro e fora do Brasil já aumentaram seu pênis com exercícios para o pênis? Essa vontade em aumentar o pênis em casa, ou com cirurgias e comprimidos já vem de muito tempo e hoje existem métodos bem melhores que pílulas e cortes pois ambos tem muito risco a saúde, como efeitos colaterais e preços elevados.

Na vida o melhor caminho, é o caminho natural das coisas, por exemplo, uma pessoa começa a ir em uma academia para aumentar e massa muscular, em 1 ano com certeza ela vai ter aumentado bastante os músculos pois ela fez exercícios diários pra os músculos, bom o pênis também é um músculo e pode ser aumentado, através de exercícios para o pênis e gel como xtra gel para homem. Essa é uma maneira natural de como aumentar o pênis da mesma forma que uma pessoa vai para a academia aumentar a massa muscular.

Bom, voltando no começo da conversa, existe muita informação espalhada na Internet, sobre diferentes assuntos e você pode além de ficar perdido com tanta informação, ou até mesmo acreditar e seguir algumas que mais cedo ou mais tarde, virá os resultados e que podem muitas vezes não serem agradáveis.

Exercício para aumentar o pênis

Este exercício de aumento peniano é muito simples e foi concebido e incorporado aos exercícios penianos para fornecer os mesmos
efeitos positivos obtidos a partir do uso de pesos dependurados, sem todos os perigos envolvidos pelo uso dos pesos.

Como Funciona

O Extensor de Comprimento pode alongar seu pênis (aumentar o tamanho do pênis naturalmente) simplesmente por incorporar a técnica de um ‘puxão’ . Com esta técnica o tecido central do pênis é alongado, como um tendão, forçando-o a encompridar-se mais após alguns meses. Apesar de poder servir para alongar seu pênis, ele nada fará para engrossá-lo.

Preste bem atenção com tudo que você encontra pela internet, principalmente coisas que são grátis e que não tem nenhuma responsabilidade, estudo e cuidado ao ser oferecida ou ensinada.

Na Internet, se encontra realmente tudo hoje em dia, porém certas informações,” as melhores”, você pode ter certeza que você tem que pagar por elas.

Informações aleatórias grátis que você encontra no Google ou Youtube por exemplo, podem te ajudar a fazer muita coisa sim, mas como foi dito, as melhores e que vão fazer uma diferença na sua vida, você tem que comprar pois, com certeza foi colocado bem mais compromisso, estudo e dedicação nesse tipo de material.

Bem, agora que você já sabe que o “barato” ou grátis pode sair caro, e só vai fazer você perder tempo, pois na maioria das vezes não vai te trazer resultados satisfatórios, você deve encontrar o produto que precisa e comprar em um site que passe a você confiança, respeito e segurança. Sites com muitas propagandas e anúncios, são sites amadores que só querem o seu dinheiro. Não caia nessa de informação realmente útil e de graça.

No nosso caso de como aumentar o pênis, você encontra centenas de sites sobre o assunto, uns grátis, outros pagos, vê coisa grátis no Youtube, mais nenhum tem um programa de treinamento completo, testado e comprovado a eficácia, que te leva dezenas de benefícios a curto prazo e pra toda vida.

Não use esses sistemas de aumentar o pênis, que você vê em sites grátis ou Youtube, pois nenhum irá apresentar a você um sistema completo e personalizado de como aumentar o pênis, com as mãos e em casa como o nosso. Fora os brindes, para você saber como conquistar as mulheres, controlar a ejaculação precoce, como corrigir a curvatura do pênis e etc…

O exercício também pode ajudar a controlar a ejaculação, através de exercícios para o músculo pubeo coccígeno que também é bom para evitar o câncer de próstata.

Pode ajudar também a ejaculação precoce
A ejaculação precoce é um dos problemas sexuais mais comuns do homem, mais até do que a disfunção erétil. Pode afetar a homens de qualquer idade e 1 em cada 4 homens sabe o que é não ter controle sobre a ejaculação.

Segundo especialistas, cerca de 30% dos homens de todo o mundo sofrem os efeitos da ejaculação precoce e, apesar disso, este é ainda um tema tabu na nossa cultura.

A ejaculação precoce define-se como ejaculação persistente ou repetida com um estímulo sexual mínimo antes, durante ou pouco depois da penetração; ou antes que a pessoa o deseje, causando apuros e vergonhas a uma ou a ambas as pessoas, de modo que pode afetar as relações sexuais e o bem-estar global do casal.

A ejaculação precoce é um estado médico frequente e definido que pode afetar seriamente a qualidade da vida, o bem-estar físico e emocional.

A grande maioria dos homens não se sente confortável a falar deste assunto, tanto com os cônjuges como com os médicos.

Segundo uma pesquisa, em torno de 70% das mulheres estão insatisfeitas com o tamanho do pênis do homem e desempenho sexual de seus parceiros. Não deixe que tudo isso aconteça com você, ter um membro maior ou mais grosso faz bem e conseguir controlar a ejaculação na hora do relacionamento, faz bem para a mulher e bem pro ego de qualquer homem.

O que é dor na vesícula biliar

Doenças da vesícula biliar :
Condição:
Colelitíase (cálculos biliares) Coledocolitíase (pedras no ducto biliar) Colecistite (infecção da vesícula biliar)

A vesícula biliar é um órgão localizado abaixo do fígado, na parte superior direita da barriga, logo abaixo da caixa torácica.

O fígado produz bile e a vesícula biliar normalmente armazena bile. Em resposta a uma refeição, a vesícula biliar libera bile liberada no intestino delgado para ajudar na quebra (digestão) dos alimentos.

A bile que viaja pelo intestino torna as fezes amarelas, verdes ou marrons. Aqui, discutimos condições que podem afetar a vesícula biliar.

Visão geral (“O que é isso?”)

Definição: Colelitíase refere-se a pedras na vesícula biliar (“cálculos biliares”).
Epidemiologia: até 30% da população adulta tem cálculos biliares. No geral, os cálculos biliares são menos comuns em crianças.

As pedras tendem a se formar na vesícula biliar quando a bile tem uma maior concentração de colesterol e bilirrubina.

O colesterol é algo que pode ser encontrado em alimentos gordurosos e uma dieta com alto teor de gordura pode contribuir para a formação de cálculos biliares.

A bilirrubina é uma substância que o corpo forma quando os glóbulos vermelhos no sangue são processados ​​pelo corpo.

Portanto, em condições em que há uma alta taxa de renovação sanguínea, mais bilirrubina é produzida e precisa ser manipulada pelo fígado.

O nível de bilirrubina é mais alto na bílis e pode levar a cálculos biliares. As condições que têm uma alta rotatividade de glóbulos vermelhos incluem ocorrem por uma variedade de razões.

Essas condições incluem anemia falciforme, esferocitose hereditáriae beta-talinemia . Até 50% das crianças com anemia falciforme desenvolverão cálculos biliares aos 20 anos de idade.

Esses são outros fatores de risco que parecem estar associados a formação de cálculos biliares.

Em crianças e adolescentes, obesidade, gravidez, uso de pílulas anticoncepcionais e fibrose cística são fatores de risco para esse problema.

Mais de 40% dos bebês que precisavam de nutrição pela veia (nutrição parenteral total ou NPT) desenvolverão cálculos biliares.

Antes da puberdade, os cálculos biliares são igualmente prováveis ​​em meninos e meninas, mas após a puberdade as meninas têm mais probabilidade de ter cálculos biliares.

A coledocolitíase ( ductos colédoco – biliares, litíase – pedras ) é a condição em que as pedras da vesícula biliar ficam presas no ducto biliar entre a vesícula biliar e o intestino delgado.

Isso pode causar amarelecimento da pele (icterícia) e, às vezes, uma infecção dos ductos biliares e do fígado.

Colecistite – é uma infecção da vesícula biliar que pode estar associada aos cálculos biliares.

Sinais e sintomas (“Que sintomas meu filho terá?”)

Sinais precoces: inclua dor de barriga e / ou náusea depois de comer, especialmente se os alimentos tiverem muita gordura.

A vesícula biliar aperta a bile após uma refeição, e ter pedras na vesícula biliar pode causar dor. A dor pode ser aguda ou maçante como uma dor.

Geralmente, é o lado superior direito da barriga, logo abaixo da caixa torácica, ou espalhado no ombro direito ou no meio das costas direito. As crianças mais velhas são mais capazes de diminuir seus sintomas.

As crianças mais jovens podem ter dificuldade em descrever sua dor, portanto, fazer o diagnóstico em crianças pequenas pode ser difícil.

Às vezes, pequenos cálculos biliares podem sair da vesícula biliar quando a vesícula aperta.

Essas pedras podem ficar presas no sistema do ducto biliar entre a vesícula biliar e o intestino delgado.

Se isso acontecer, vários problemas sérios podem ocorrer. Isso inclui o bloqueio do fluxo biliar no intestino delgado, causando icterícia, fezes de cor pálida e urina marrom escura.

Se as pedras descerem ainda mais no ducto biliar, elas podem bloquear o ducto do pâncreas e causar inflamação do pâncreas (pancreatite). Outra possível complicação é a infecção dos ductos biliares (colangite).

Esta infecção pode levar a febre alta. Os cálculos biliares podem levar a infecções da vesícula biliar.

Nesse caso, a febre pode acompanhar náusea, vômito e dor de barriga.
Diagnóstico (“Quais testes são feitos para descobrir o que meu filho tem?”).

Você também pode entender um pouco melhor sobre esse problema acessando o site Minha Dieta Funciona.

Exame físico por um médico

Exames de sangue: incluindo contagem de glóbulos brancos para procurar infecção, exame de sangue para verificar o funcionamento do fígado e enzimas pancreáticas para descartar inflamação pancreática.

Radiografia abdominal: detecta apenas 30% das pedras. Às vezes, são feitos raios-X para garantir que não haja outras causas possíveis de dor.

Ultra-som: melhor teste para procurar cálculos biliares. O ultra-som também pode detectar se uma infecção da vesícula biliar está presente.

Se for observada dilatação dos ductos biliares, isso pode dar uma pista de que as pedras estão presas no ducto biliar. Na maioria das vezes, um ultra-som é o único teste necessário.

A varredura HIDA: (também conhecida como cintilografia de adolescentes ou hepatobiliares) é um teste que descreve o caminho que a bile segue.

Neste teste, um marcador é injetado no sangue da criança. Como a bile, esse marcador é absorvido pelo fígado e concentrado na vesícula biliar, atravessa o ducto biliar e é esvaziado no intestino delgado.

Se o paciente tiver infecção da vesícula biliar, o traçador pode não ir para a vesícula biliar. Se houver um bloqueio do ducto biliar, o marcador não entrará no intestino delgado.

Este teste não é usado comumente, pois o ultrassom é eficaz. Tomografia computadorizada: não é útil para cálculos biliares em crianças.

Se outros problemas estiverem sendo verificados ou se houver preocupação com inflamação pancreática, uma TC pode ser útil.

Tratamento: (“O que será feito para melhorar meu filho?”)

Opções médicas: Existem muito poucas opções médicas para tratar cálculos biliares.
Ácido ursodeoxicólico – é um medicamento que pode ser administrado para dissolver cálculos biliares, mas existe um alto risco de que os cálculos biliares retornem.

A redução dos fatores de risco para evitar a formação de cálculos biliares é útil. Em crianças, limitar o uso de NPT pode ajudar na formação de cálculos biliares.

Em crianças mais velhas, é útil prevenir a obesidade com uma dieta saudável com baixo teor de gordura e exercícios regulares.

Observação sem intervenção é indicada se não houver sintomas de cálculos biliares. Às vezes, os cálculos biliares causados ​​pela TPN podem resolver dentro de 6 a 12 meses.

Endoscopia : se os médicos acharem que há pedras presas no ducto biliar (coledocolitíase), eles podem recomendar um procedimento para remover as pedras primeiro.

O procedimento é chamado de colangiopancreatografia endoscópica retrógrada ou CPRE, para abreviar.

Um CPRE envolve o uso de uma câmera telescópica inserida pela boca, passada pelo estômago e pelo intestino delgado. Como o ducto biliar despeja no intestino delgado, o ducto pode ser visto e abordado nessa região.

Para remover a pedra, um pequeno corte é feito no local de entrada do ducto (esfincterotomia) e pequenos balões são usados ​​para limpar as pedras do ducto. As pedras entram no intestino delgado e são naturalmente passadas pelas fezes.

A cirurgia é o melhor e único tratamento para cálculos biliares que causam sintomas. A vesícula biliar e as pedras dentro dela são removidas.

Geralmente, a cirurgia é feita laparoscopicamente. Na “cirurgia laparoscópica”, são feitos vários pequenos cortes (incisões). Através de um dos cortes, uma câmera de vídeo é colocada.

A cirurgia em si é realizada com pequenos instrumentos colocados nas outras incisões. Às vezes, o cirurgião pode pensar que é uma boa ideia definir a anatomia do ducto biliar.

Isso é feito injetando corante nos ductos biliares. Isso pode mostrar se há pedras no ducto ou se há lesão no ducto biliar. Se forem encontradas pedras no ducto, o cirurgião pode fazer manobras para limpá-lo.

Se o ducto não puder ser limpo no momento da operação, poderá ser necessário um CPRE após a cirurgia.

Embora a maioria das cirurgias de remoção da vesícula biliar seja feita laparoscopicamente, pode haver momentos em que uma grande incisão é necessária.

Algumas das razões para isso incluem muita inflamação, incapacidade de limpar o ducto usando laparoscopia ou a anatomia da vesícula biliar e do ducto biliar não é clara.

Preparação Pré-operatória

A preparação pré-operatória consiste no cuidado de tornar seu filho o mais saudável possível antes da cirurgia. Se houver infecção da vesícula biliar, seu filho poderá receber antibióticos antes da cirurgia ser concluída.

No caso da criança com anemia falciforme, podem ser necessárias transfusões de sangue antes da cirurgia para evitar uma crise falciforme.

Os pacientes geralmente são solicitados a tomar banho ou tomar banho na noite anterior à cirurgia. Os pacientes devem parar de comer ou beber por algumas horas antes da cirurgia.

O cuidado pós-operatório consiste no tratamento da dor e no tratamento de feridas. Se o procedimento for realizado por laparoscopia, a maioria das crianças poderá voltar para casa no dia da cirurgia ou no dia seguinte.

Se uma incisão maior for necessária, haverá mais dor e, portanto, o paciente precisará permanecer no hospital por mais tempo, com uma média de 5-7 dias após a cirurgia.

Os riscos da CPRE incluem inflamação pancreática, sangramento no local da esfincterotomia (corte da abertura do ducto biliar), orifício no intestino. A inflamação pancreática geralmente melhora em 24 a 48 horas.

O sangramento do local da rotomia do esfíncter pode exigir outra CPRE ou cirurgia. Um buraco no intestino pode ser tratado apenas com antibióticos ou pode precisar de cirurgia, dependendo do tamanho do buraco e da doença do paciente.

Os riscos da colecistectomia laparoscópica incluem danos ao ducto biliar comum, vazamento de bile, sangramento, infecção na ferida, pedra retida no ducto biliar.

Sempre que a cirurgia laparoscópica é realizada, sempre existe a chance de a cirurgia ser convertida em cirurgia aberta (maior incisão no abdômen). Algumas dessas complicações podem exigir mais cirurgias.

O benefício da cirurgia é o alívio da dor dos cálculos biliares. Se houver infecção e / ou bloqueio do ducto biliar, esses problemas também serão resolvidos.

Assistência Domiciliar (“O que preciso fazer quando meu filho for para casa?”)

Dieta: Seu filho pode seguir uma dieta normal após a cirurgia. Às vezes, comer muitos alimentos gordurosos pode resultar em fezes e cãibras soltas.

Esses problemas provavelmente desaparecerão após vários meses, pois o corpo se ajusta a não ter vesícula biliar.

Atividade: Seu filho deve evitar atividades extenuantes e atividades pesadas nas primeiras 1-2 semanas após a cirurgia laparoscópica, 4-6 semanas após a cirurgia aberta.

Tratamento de feridas: As incisões cirúrgicas devem ser mantidas limpas e secas por alguns dias após a cirurgia.

Na maioria das vezes, os pontos usados ​​em crianças são absorvíveis e não requerem remoção.

Seu cirurgião fornecerá orientações específicas sobre o tratamento de feridas, inclusive quando seu filho pode tomar banho ou tomar banho.

Medicamentos: medicamentos para dores como acetaminofeno (Tylenol) ou ibuprofeno (Motrin ou Advil) ou algo mais forte como um narcótico podem ser necessários para ajudar com a dor por alguns dias após a cirurgia.

Amaciadores e laxantes das fezes são necessários para ajudar as fezes regularmente após a cirurgia, especialmente se os narcóticos ainda são necessários para a dor.
Para que chamar o médico:

Ligue para seu médico para piorar a dor na barriga, febre, vômito, icterícia ou Se as feridas estiverem vermelhas ou drenando líquidos.

Cuidados de acompanhamento: Seu filho deve acompanhar seu cirurgião 2-3 semanas após a cirurgia para garantir uma cura pós-operatória adequada.

Você deve continuar consultando seu pediatra regularmente para tratar e gerenciar a causa principal dos cálculos biliares do seu filho (exemplos: obesidade, anemia hemolítica, fibrose cística)

É preciso também ter a melhor dieta para quem tem pedra na vesícula para fazer o acompanhamento do problema.

Resultados a longo prazo (“Existem condições futuras para se preocupar?”)

Após o tratamento cirúrgico, o prognóstico a longo prazo é excelente. Poucos pacientes podem sentir vômito e inchar depois de comer alimentos gordurosos. Isso geralmente é temporário.

Acompanhe seu cirurgião pediátrico se seu filho apresentar esses sintomas.

Os benefícios da testosterona alta para saúde

Você sabe que a testosterona é um hormônio extremamente importante, mas a discussão não termina simples assim. Para receber os benefícios do andrógeno primário, devemos mostrar os níveis adequados de testosterona.

Os níveis de testosterona podem variar muito de um homem para outro, e existem vários fatores que podem ser considerados nos níveis totais.

Desde a idade até práticas de suplementação, hábitos de vida e até mesmo nossa própria predisposição genética, todos esses fatores podem afetar nossos níveis totais de testosterona.

Claro, alguns homens terão baixos níveis de testosterona, enquanto outros mostrarão grandes quantidades, mas cada homem pode trazer níveis elevados de testosterona através de suplementação ou até mesmo melhorar os níveis naturalmente até certo ponto.

Baixos níveis de testosterona

Baixos níveis de testosterona geralmente são causados por idade. A medida que envelhecemos nossos níveis tem um declínio, é inevitável. Nos Estados Unidos, os níveis de testosterona inferiores a 300 ng / dl geralmente são considerados baixos e, se for esse o caso, o tratamento geralmente é garantido.

Claro, esses números também podem ser muito enganosos. Por exemplo, se você é normal, o alcance é de 500ng / dl e, de repente você está em 350ng / dl, você sentirá uma diferença. Infelizmente, provavelmente não se qualifica para tratamento.

Em qualquer caso, homens que sofrem de baixos níveis de testosterona podem ver sua vida diminuída de muitas maneiras. Os homens que sofrem de níveis baixos de suas constituições sofrem perda de massa, força e ganham gordura corporal, mas os problemas não terminam por aí.

Na maioria dos casos, haverá algum tipo de disfunção sexual, como perda de libido ou disfunção erétil. Então é claro que só piora.

Os homens que sofrem de letargia, falta de clareza mental, depressão e um sistema imune enfraquecido, mesmo que uma grande parte do problema, bem como uma condição que abre a porta para muitas complicações mais graves. Baixos níveis de testosterona foram associados a diabetes, doença de Alzheimer, osteoporose e uma série de outras condições graves.

Níveis elevados de testosterona

testosterona alta

Tudo o que se pode dizer sobre níveis baixos de testosterona pode ser dito de níveis elevados de testosterona, exceto no sentido oposto.

Os homens que têm altos níveis não sofrem como homens com baixos níveis. Na verdade, todas as zonas de sofrimento associadas a níveis baixos, os homens com altos níveis não irão sofrer provavelmente. Disfunções sexuais e depressão, esqueça, não será uma preocupação.

Homens com níveis elevados de testosterona carregam mais massa magra, eles podem construir mais tecido magro, eles não vacilam sua força e são mais finos e mais estritos do que seus semelhantes.

Em qualquer caso, em algum momento de sua vida, seus níveis serão maiores e então eles começarão a cair. Alguns homens podem ter níveis de testosterona de ocorrência natural de até 800ng / dl (embora improváveis).

Fatores e alimentos que podem influenciar a perda da libido

A diminuição da libido é simplesmente ter “baixo nível de interesse sexual”. Manifesta-se quando é difícil iniciar ou responder à atividade sexual a estímulos que costumavam causar desejo.

estimulante tesao de vaca

Por outro lado, a ausência temporária de desejo de fazer sexo com a falta de desejo sexual não deve ser confundida. Este é um distúrbio de causas físicas que geralmente é acompanhado por condições psicológicas.

A importância do momento da aparência

A perda do desejo pode se manifestar a qualquer pessoa ou a uma pessoa específica. Essas duas situações fazem uma diferença muito importante na determinação de sua origem e, é claro, indicarão caminhos muito diferentes para o tratamento em um caso ou outro.

O momento de sua aparência também é importante. Pode sempre ter faltado o que chamamos de “primário” ou ter desaparecido depois de estar presente há anos, que chamamos de “secundário”.

Fatores que influenciam a perda da libido:

Influência do estado de estresse:

Existem estados alterados que produzem um certo “alarme” no organismo “; Isso responde com uma descarga adrenérgica, com vasoconstrição das artérias do pênis e / ou escape venoso, contraturas e tensões musculares, ansiedade, medo, hipertensão, que podem causar uma diminuição do desejo devido a essa descarga adrenérgica. Quando esse estado é prolongado, os vasos penianos são alterados ainda mais, levando à disfunção endotelial, que leva à “impotência”.

Fatores hormonais:

O aumento de alguns hormônios como cortisol e prolactina ou a diminuição de outros, como testosterona ou DEHA, geralmente são a causa de alterações no desejo sexual. Às vezes, isso ocorre devido a distúrbios do tipo hormonal puro, mas em outros casos a falha hormonal pode ser induzida por um estado de estresse mantido ao longo do tempo, bem como estados depressivos, ansiedade ou algumas doenças psicológicas recentes ou remoto

Fatores não hormonais:

Entre inúmeros fatores que podem afetar o desejo, encontramos:

  • Menopausa
  • Expectativas das mulheres em relação ao seu próprio comportamento sexual e ao parceiro
  • Estado de bem-estar geral
  • Estados de ansiedade de estresse
  • Presença de sintomas irritantes
  • Sentimentos sobre o casal
  • Status da função sexual do seu parceiro, entre outros.

Fatores nutricionais:

Alguns alimentos e nutrientes que promovem ou afetam uma libido saudável:

Café, chá processado e chocolates: eles contêm teobromina, teofilina e cafeína. Eles afetam diretamente as glândulas supra-renais, fazendo com que produzam adrenalina. Esses hormônios causam um aumento na glicose no sangue.

O efeito rebote é hipoglicemia com seus sintomas correspondentes: cansaço, falta de concentração, irritabilidade, tontura, tremor, fraqueza. Por outro lado, o café rouba minerais como magnésio e zinco do corpo, que são nutrientes vitais para combater o estresse.

Carboidratos simples: Esta substância tão consumida em nossa sociedade aumenta desproporcionalmente a glicose no sangue. O corpo secreta grandes quantidades de insulina, causando o efeito rebote ou hipoglicemia. Isso produz uma estimulação adrenal que produz mais adrenalina.

Álcool: sua ingestão excessiva inibe a mobilização de glicogênio hepático. Além disso, o álcool interfere na absorção de zinco (essencial para o controle do estresse) e estimula a absorção do chumbo (um estressor) no organismo.

Água: Um corpo com pouca hidratação sofre mais. Entre seus muitos efeitos, a desidratação faz com que as glândulas supra-renais produzam aldosterona, o que aumenta a absorção de sódio no sangue e o aumento da pressão arterial.

Vitaminas e minerais: Deve-se manter uma ingestão adequada de vitamina E, complexo B, magnésio, cromo e outros oligoelementos; isso ajuda a que os hormônios relacionados ao estresse não sejam destruídos pelo oxigênio. A vitamina C, famoso antioxidante, promove a produção de hormônios adrenais, melhora seu uso e atrasa sua destruição. Evite o estresse oxidativo.

Como deve ser uma dieta adequada para uma libido saudável?

Um dos maiores inimigos da sexualidade é a obesidade. Não é uma idéia livre, mas cientificamente comprovada: da mesma forma, também é comprovado que uma dieta equilibrada e saudável ajuda a manter um relacionamento sexual completo e satisfatório.

A influência da comida

A comida influencia o humor, a concentração, o desempenho físico e também a qualidade do sexo. De acordo com um estudo publicado na Food Research International, a revista do Instituto Canadense de Ciência e Tecnologia de Alimentos, alguns alimentos são “verdadeiros estimulantes”. Devido às suas propriedades nutricionais, eles geram reações químicas no corpo que aumentam a libido e a percepção sensorial, atingindo orgasmos poderosos.

1) Noz-moscada
Contém miristicina, um componente alcalóide da droga “ecstasy”, que aumenta a percepção sensorial e a abordagem sensual. Recomenda-se aumentar a libido nas mulheres e produzir calor na área pélvica, melhorando os orgasmos.

2) Ginseng
testosterona é um hormônio que estimula o desejo sexual, por isso é conveniente comer alimentos que ajudem a aumentar seus níveis no corpo. O ginseng, uma raiz asiática, possui ginsenosídeos, substâncias estimulantes imitam os efeitos da testosterona.

3) Ostras
São uma das principais fontes naturais de zinco, um mineral essencial no desenvolvimento dos órgãos reprodutivos e na produção de fluido seminal. Além disso, bloqueia a enzima que converte a testosterona em estrogênio.

4) Cacau
É um dos alimentos com maior concentração de magnésio (420 mg por 100 gramas de cacau), substância que contribui para a produção de hormônios sexuais.

5) Carne
Suas proteínas aumentam os níveis de dopamina, um hormônio e neurotransmissor que gera “prazer químico” no cérebro, aumenta a percepção sensorial e ajuda a aumentar o prazer sexual.

 

Maca preta, mais resistência física e sexual

A maca negra é um ecótipo da maca andina que, segundo vários estudos, é o melhor para resistência física, melhora a memória e bane a sensação de fadiga.

viagra natural

A maca é um alimento nutritivo e medicinal que cresce acima de 4.000 metros nos Andes peruanos. É caracterizada por suas propriedades energizantes, antioxidantes e fertilidade.

Dentre as variedades de maca existentes, a Maca Negra se destacou com alguns benefícios: aumenta a fertilidade de ambos os sexos, permite maior poder físico por mais tempo e melhora a memória , entre outros, enquanto a Maca Vermelha é uma excelente Alternativa para casos de hiperplasia prostática benigna, osteoporose e menopausa.

Investigações de Black Maca

Estudos conduzidos pelo Laboratório de Endocrinologia e Reprodução da Escola de Ciências e Filosofia UPCH, liderado pelo Dr. Gustavo F. Gonzales, no Peru, mostraram que a contagem e a mobilidade de espermatozóides no epidídimo melhoram com o consumo de Maca Negra .

Eles também testaram os efeitos positivos na capacidade de aprendizado e na memória.

Aumento da resistência física:

Os ratos foram introduzidos em uma piscina e o tempo em que alcançou a fadiga e os sumidouros foi controlado, sendo o animal imediatamente removido da piscina. Eu mostro o seguinte:

  • O grupo sem tratamento atinge a fadiga entre 10 e 15 minutos.
  • O grupo com Maca Vermelha atinge a fadiga entre 30 e 35 minutos.
  • O grupo com Maca Negra atinge fadiga entre 100 e 120 minutos .

Efeitos destacados da Maca Negra

  • Aumente a produtividade, evitando fadiga e estresse.
  • Melhora a concentração e atenção cognitiva.
  • Combate a depressão, regula positivamente o humor.
  • Aumente a resistência física retardando a fadiga.
  • Aumentar a contagem de espermatozóides, melhorando a fertilidade.
  • Afrodisíaco, aumenta a libido como outras macas, mas aumenta a potência e o desempenho sexual.

Black Maca, ajuda eficaz para o desempenho sexual

maca preta viagra natural

À medida que estudos científicos são realizados e os resultados vêm à tona, Maca se torna cada vez mais popular como um substituto natural da já famosa pílula Viagra.

Ao contrário de qualquer produto químico com tendência a ter contra-indicações e efeitos colaterais, e, portanto, não pode ser prescrito indiscriminadamente, além de seus efeitos ocorrerem por um curto período de tempo .

A maca é conhecida como o  Ginseng dos Andes  e Viagra dos Incas,  por causa de seus atributos afrodisíacos, atua diretamente no fluxo sanguíneo, o que se traduz diretamente em uma ação revigorante da área pélvica de homens e mulheres para aumentar a potência sexual .

A ação permanente de Maca faz com que a torreón apetite sexual estimule a libido e o desejo. O que o ecótipo Maca Negra mostrou é que aumenta o desempenho sexual e o aprimora.

© 2020 Blog Sobre Saúde

Theme by Anders NorénUp ↑